Educador, facilitador de Estudo do Evangelho à Luz do Espiritismo, escritor e palestrante, colaborador da FERGS na Área de Unificação. Autor dos livros: Em busca da sabedoria, Conquista da plenitude e Inteligência Espiritual, todos publicados pela FERGS Editora.
a conquista da plenitude
PUBLICAÇÕES DE
VINÍCIUS LOUSADA

Por Vinícius Lima Lousada [1]

“Qual seria, para a sociedade, o resultado do relaxamento dos laços de família? – Uma recrudescência do egoísmo.”[2]

Vivemos em uma sociedade de consumo que nos exige recursos para a manutenção da vida, assumimos compromissos financeiros para tanto e trabalhamos para gozarmos o direito à aquisição, nada obstante toda a desigualdade em vigor.

Transitamos na dinâmica de distinção entre o necessário e o supérfluo, não somente para economizar, mas para não nos escravizarmos pelo consumismo.

Nesse ínterim temos a nossa família e, adultos, precisamos zelar pela que constituímos. A paternidade e a maternidade são missões que devem tributo às nossas consciências.

Organizemo-nos, também, para estarmos sempre que possível com os nossos filhos; nada é mais importante do que estar com eles, no momento presente, e fornecer-lhes as impressões positivas de um caráter responsável e amoroso através da convivência saudável e educativa.

Nossos pequenos tudo observam e recolhem, in...

Por Vinícius Lima Lousada, 

Educador, escritor, palestrante espírita, coordenador do Setor de Formação de Lideranças Espíritas - FERGS

Outro dia, minha filha e sua amiga (ambas vem sendo educadas sob o pensamento espírita em seus lares e são participantes da evangelização espírita infanto-juvenil) conversavam enquanto eu me organizava para atender uma tarefa. De repente, fui surpreendido pela reflexão filosófica a que se dedicavam: as duas se perguntavam sobre se veriam ou não a regeneração da Humanidade nesta reencarnação. Fiquei quieto e sensibilizado, longe de mim interromper aquelas pequenas filósofas.

Quando cursei Pedagogia, no século passado, pesquisei Filosofia para Crianças e aprendi que as crianças são naturalmente filósofas, tendo em vista a curiosidade com que se movem no mundo. Nada obstante, as práticas educativas conservadoras no lar e noutras agências sociais que, às vezes não promovem uma pedagogia da pergunta e da responsabilidade, mas do silêncio e da obediência cega, q...

A obra O QUE É O ESPIRITISMO, do mestre Allan Kardec, traz excelentes lições de filosofia espírita. Aliás, trata-se uma das obras fundamentais da Doutrina que Kardec recomendava como primeira leitura, fosse para iniciantes, fosse para adeptos já esclarecidos.

O educador da nova era estabelece no livro uma forma de apresentação das matérias muito didática para ir revelando, pouco a pouco, os princípios da doutrina e suas principais críticas ou objeções, criando assim, em belo estilo, os diálogos com personagens como o "crítico", o "cético" e o "padre". Isto na primeira parte da obra.

Na sua segunda parte, a obra nos remete a uma síntese do Espiritismo em seu aspecto experimental. Já, na terceira parte, a obra traz as contribuições da Doutrina Espírita para que a razão e o coração, com lucidez, enfrentem problemas filosóficos diversos.

Enfim, o livro aqui mencionado é uma leitura indispensável aos leitores do mestre e adeptos da Doutrina dos Espíritos.

Gostaria de trazer aqui um apontamento,...

O mestre Allan Kardec, em sua Revista Espírita de 1865, dedica um belo artigo ao tema "Romance Espírita". Kardec escreve aquele texto mobilizado por um fenômeno muito interessante em torno da Doutrina dos Espíritos: passaram a surgir obras de cunho espiritualista de literatos renomados que abordavam a temática espírita. 

A esse respeito, chegou a afirmar o mestre: "Podem fazer-se romances sobre o Espiritismo, como sobre todas as coisas. Dizemos até que quando for conhecido e compreendido em sua essência, ele fornecerá às letras e às artes fontes inesgotáveis de deslumbrante poesia."  

O Espiritismo é fonte de uma poética sensível, elevada e instrutiva para autores encarnados, tanto quanto desencarnados, e o gênero denominado por romance, bem fundamentado, pode traduzir profundos ensinamentos ao mesmo tempo em que colabora com o leitor em sua busca de lazer conjugado ao esclarecimento.

Tive a alegria de ver e ouvir algumas dessas páginas, ditadas por diversos Espíritos, à Maria Elisab...

Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.[3]

           

      União e Unificação são dois princípios que devem orientar a ação do adepto do Espiritismo desde sua simples presença junto ao núcleo espírita-cristão em que se encontre vinculado. Balizado por ambos, no labor de aprendizado e serviço que lhe compete, irá situar-se o companheiro no âmbito da rede interexistencial da qual faz parte, agregando extensa, ativa e amorosa falange de servidores do Bem, comprometidos com a Doutrina do Consolador, sob as diretrizes da Vida Maior.

O contato com a ideia de união na família espírita é por demais oportuno na formação do caráter espírita-cristão do adepto do Espiritismo, especialmente porque o Espiritismo não poderia ensinar algo distinto disso, tendo em vista que a sua proposta ético-moral é o Evangelho d...

Vivemos tempos curiosos, esses tempos de transição, pois, apesar de estarmos caminhando em meio ao trânsito para a regeneração humana, como previram os Espíritos junto a Allan Kardec, consoante anota em seus textos o ínclito codificador do Espiritismo, saltam aos nossos olhos comportamentos dantescos na vida social

O fato é que, nesse período de transição emergem conflitos íntimos na esfera pública que antes ficavam no anonimato, em tempos em que não éramos uma sociedade informática, com rede de comunicação global e complexa. Mas esses conflitos, oriundos na preponderância das paixões inferiores sobre a nossa natureza espiritual apenas reflete a nossa condição - impermanente - de Espíritos imperfeitos, que se afligem na coletividade como uma residualidade de um tempo de outros tempos chegados.

“Mas uma mudança tão radical como a que se está elaborando não pode realizar-se sem comoções. Há, inevitavelmente, luta de ideias. Desse conflito forçosamente se originarão perturbações temporárias...

 

Talvez, uma das obras de Allan Kardec onde mais possamos extrair lições diretas de liderança e de união para os nossos estudos e vivências no movimento espírita seja o livro Viagem Espírita em 1862. Nesta magistral obra, o mestre lionês registra suas impressões, vivências e fatos pertinentes a uma de suas viagens ao encontro do movimento espírita nascente que, por oportuno, lhe solicitava a presença e a palavra orientadora.

Com base no que anota o tradutor para a edição da Federação Espírita Brasileira, o confrade Noleto Bezerra, A Viagem Espírita em 1862 era uma das cinco viagens realizadas pelo mestre, ocorrida durante as férias de verão da Sociedade Espírita de Paris, para visitar sociedades do interior da França e na Bélgica. Nesse tentame, Kardec se deslocou em torno de 3.345,83 km, objetivando visitar mais ou menos vinte cidades.

Nas páginas iniciais desta obra de Allan Kardec encontramos duas máximas ensinadas pelos Espíritos Superiores, uma mais geral e outra decorrente daquela....

"Vinculados e adesos ao trabalho, nos Grupos de Ação, Casas e Entidades veneráveis, auxiliemos, verdadeiramente ligados à Causa, ao Cristo e a Kardec.” - Joanna de Ângelis[1]

Quando matriculados nos serviços de unificação do movimento espírita, a fim de atendermos assertivamente aos ditames superiores a que nos encontramos vinculados, quais são de amor, serviço aos semelhantes, de divulgação do Espiritismo e da expansão da mais lídima fraternidade sobre a Terra, em um mundo em transição, somos convidados a buscar as bases desse plano de trabalho, ainda que de modo breve.

Para tanto, recordamos a recomendação do Divino Amigo que instou os companheiros de primeira hora de Cristianismo ao amor ágape, fraternal e recíproco, estribado no sentimento de fraternidade, como forma de identificação dos discípulos da Boa Nova ao afirmar: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns pelos outros”.[2]

Em sintonia com a proposta do Mestre, as anotações de Atos dos Apóstolos apo...

Please reload

  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

© 2016 Área de Comunicação Social Espírita da Federação Espírita do Rio Grande do Sul

Travessa Azevedo, 88 Floresta - Porto Alegre, RS 90.220-975 Caixa Postal 4715 - Fone: (51) 3224.1493