Evangelização em marcha - Conhecimento, amor e trabalho desde 1948


Artigo publicado em 2018 no Jornal Diálogo Espírita

“EVANGELIZAÇÃO EM MARCHA – 70 ANOS – 1948/2018 e CONTE MAIS - 15 ANOS”

Conhecimento, Amor e Trabalho


“O coração da criança é o solo a cultivar, eivado de dificuldades. Arroteemos o terreno à nossa disposição, adubemo-lo e atiremos nele as sementes do Evangelho. Jesus fará o resto. Brilhará, um dia, a flor de luz da verdade, no jardim por onde hoje caminham os nossos pés a serviço do Mestre Infatigável.”

Francisco Spinelli [1]

Conhecer o passado para ressignificar o presente e preparar o futuro: eis a motivação principal deste momento em que o Movimento Espírita Gaúcho se reúne para comemorar os 70 anos de Evangelização em Marcha no RS.

Era o ano de 1948 quando a semente da Evangelização Espírita Infantojuvenil foi lançada no solo fértil dos rincões gaúchos. Angel Aguarod Torrero, um dos fundadores da FERGS e seu presidente, desde o ano de 1926 havia trazido informações de âmbito nacional sobre as aulas de Evangelização Espírita para a Infância. Mas a ideia necessitava ser amadurecida e encontraria corações amorosos dispostos a iniciar a tarefa. Em 1945, após uma mensagem de Bezerra de Menezes aos gaúchos convocando-os ao trabalho com a Infância e Juventude e sensibilizando-os da urgência na tarefa da Evangelização, a Federação Espírita do Rio Grande do Sul iniciou os esforços para a sua implantação. E sob a vice-presidência e apoio incondicional de Francisco Spinelli, em 1º de Maio de 1948 foi inaugurada simbolicamente as aulas de Evangelização Espírita Infantojuvenil. Nessa data, sua primeira aula ocorreu nas dependências do Instituto Espírita Dias da Cruz, em Porto Alegre, contando como primeiras evangelizadoras Alcina Taborda Garcia e Alba Saucedo. Logo outras mãos amigas se uniram à Equipe tarefeira: Dináh Rocha, Cecília Rocha, Alberto Rocha, Moab Zanelli Caldas, Zenite Carneiro, Oda Nunes e Léa Alano. Esses passaram a fundar Escolas de Evangelização, inicialmente nos principais Centros Espíritas da capital e mais tarde no interior do estado, sendo que em 1950 realizou-se a primeira concentração de Evangelizadores na Capital.

Desde então o broto cresceu e multiplicou-se, dando muitos frutos de trabalho na Seara de Jesus. Foram organizados Congressos Espíritas, Cursos para Evangelizadores, Confraternizações de Juventudes Espíritas e diversas atividades que impulsionaram a Evangelização Espírita Infantojuvenil no Estado. Em 1959, realiza-se em Porto Alegre um Seminário Interestadual, no qual oito estados fizeram-se presentes visando o exame de uma proposta de Programa de Ensino para as Escolas de Evangelização, elaborado pelos confrades gaúchos antecedendo o Currículo que foi lançado pela FEB em 1977, currículo este idealizado e coordenado por Cecília Rocha e Maria Cecília Paiva. Através de seus incansáveis tarefeiros, acompanhavam tudo que era realizado no restante do País, difundindo os ideais, perspectivas e anseios e participando de várias das primeiras realizações do Movimento Espírita no Brasil.

A professora Dinah Rocha, em 1975, intuída mediunicamente, recebe a sugestão de levar a frente a ideia de uma Campanha Pró Evangelização Espírita InfantoJuvenil. A Proposta foi inicialmente levada à Diretoria da FERGS, sendo apreciada com entusiasmo. Francisco Thiesen (então Presidente da FEB) recebendo a solicitação, por ofício, acolheu-a igualmente. Ocorre em 1977 o lançamento da Campanha Nacional de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil, tornando nos anos vindouros “Campanha Permanente de Evangelização Espírita Infanto-Juvenil”.

Hoje, enquanto estamos preparando um encontro de evangelização, quando estamos acolhendo crianças e jovens ou quando estamos reunidos, estamos dando continuidade a uma tarefa iniciada por corajosos trabalhadores que não mediram esforços no objetivo de levar a mensagem evangélica a estes recém chegados ao orbe. Desde o início, muitos se dedicaram a essa sublime tarefa, aperfeiçoando as técnicas pedagógicas e utilizando-se das novas tecnologias, proporcionando melhores condições de entendimento das lições evangélicas à luz da Doutrina Espírita. Dentre esses abnegados servidores do Cristo encontraremos os evangelizadores, na maioria anônimos, que contribuíram substancialmente na construção do cenário atual.

Muito ainda temos a avançar! Nossa “Marcha” continua, pois enquanto houver uma alma carente do Evangelho Redentor em nosso planeta teremos tarefa a cumprir. Essa é uma tarefa de união, que só se efetivará através do trabalho conjunto e da comunhão de esforços, da mesma forma que fora realizado pelos primeiros evangelizadores. Além disto, a qualidade da tarefa só se alcança através de aprimoramento contínuo. Adequar os meios pedagógicos às necessidades atuais é tarefa constante. Muitos corações infantojuvenis ainda esperam pela orientação segura do Mestre, o que torna necessário ampliar a Ação Evangelizadora Espírita, aumentando o número de Centros Espíritas com evangelização bem como o número de evangelizadores comprometidos com a tarefa e conscientes do seu papel.

“Muito já tem sido feito antes e depois do lançamento da Campanha, mas longo é o caminho que ainda devemos percorrer. E ninguém percorre, com êxito, longas estradas sem levar em conta as experiências dos viajores que os antecederam. Hoje cuidamos da semeadura, ao mesmo tempo em que colhemos os grãos do que já semeamos, mas, no futuro, a médio e longo prazo, ceifaremos os mais sazonados frutos provenientes do plantio atento e continuado da boa semente do Evangelho, destinada às novas gerações, que desabrocham para a vida física, otimistas e esperançosas, na expectativa de um Mundo Melhor.”

Cecília Rocha[2]

Tendo em vista que em 2018 estamos comemorando os 70 anos da Evangelização no RS, a Área da Infância e da Juventude da Federação Espírita do Rio Grande do Sul programou diversas ações que iniciaram em fevereiro de 2017 com o lançamento da Revista Reencarnação nº 452 sob o tema “Um Olhar para a Infância e a Juventude”, a inauguração da Mostra Comemorativa relembrando os principais fatos dessa trajetória e da contribuição de Francisco Spinelli, Cecília Rocha e outros trabalhadores para a implantação da Evangelização no RS e no Brasil, cujo título, nas palavras da própria Cecília, é “Evangelização em Marcha”. A essa Mostra Comemorativa somou-se a comemoração dos 40 anos da Campanha Permanente de Evangelização da FEB, através de banners que formaram uma exposição itinerante, a qual percorreu o Estado nas reuniões Inter-regionais e tiveram como ponto alto a Exposição na Área Institucional do 9º Congresso Espírita do RS, em preparação para as comemorações de 2018.

Nesse momento de comemorações, relembramos também a história do Programa Conte Mais, o qual celebra 15 Anos de sua criação. Em 1965, Dinah Rocha e Cecília Rocha idealizaram um Concurso de Contos Infantis entre os evangelizadores do Estado, os quais enviaram histórias criadas por estes e que serviam de ferramenta educativa para a contextualização dos temas doutrinários nos encontros de Evangelização. Esse acervo de contos infantis oriundo do Movimento Espírita Gaúcho teve as suas primeiras compilações no formato de apostilas, as quais foram reproduzidas de forma artesanal para serem utilizadas pelos evangelizadores de todo o Estado na Evangelização Espírita das crianças e jovens.

“Quando surgiu a Coleção Conte Mais, muita coisa já tinha acontecido. Aliás, tudo. Dinah Fagundes Rocha*, a grande sonhadora e lutadora por um mundo melhor, a partir da evangelização das gerações novas, encontrou o ponto de partida para esta gigantesca tarefa: escrever histórias, adaptar histórias, contar e recontar histórias! Sensibilizar corações infantis e juvenis, a fim de prepará-los, à luz da Doutrina Espírita, para nova jornada no corpo físico. [...] As histórias surgiram e formaram apostilas. Os Cursos de Preparação de Evangelizadores surgiram e distribuíram essas apostilas. O tempo passou, fecundo, promissor. As apostilas, no entanto, estavam amarelecidas. Era necessário renovar, refazer. O DIJ/FERGS recebia insistentes pedidos nesse sentido. Havia um acervo riquíssimo e era urgente resgatá-lo. Remontá-lo, não no conteúdo, intocável, mas na forma, na linguagem. [...] Primeira etapa concluída: surge o CONTE MAIS, volume. 1 em abril de 2003**.”[3]

Em 2002, as histórias para a evangelização que estavam no acervo da FERGS foram resgatadas, analisadas, organizadas e classificadas por faixa etária, por voluntários e evangelizadores, dentre eles: Eloína da Silva Lopes, Vilma Darde Ruiz, Sonia Alcalde e Gládis Pedersen de Oliveira. No ano de 2003, o resultado deste trabalho foi publicado pela primeira vez no formato de livro, pela Editora Francisco Spinelli, dando origem ao Programa Conte Mais.

Assim a Marcha continua, conquistando corações anônimos que se unem e emprestam os seus talentos e mãos para cultivar essa história. Identificando os anseios dos evangelizadores e lideranças espíritas por uma oportunidade de confraternização, na perspectiva da valorização da identidade de grupo e pertencimento através do resgate histórico desta trajetória da Evangelização, realizaremos o Encontro Estadual de Evangelizadores no dia 06 de maio próximo, inserido na comemoração dos 70 anos de Evangelização no Estado do RS e na abertura das comemorações dos 15 anos do Programa Conte Mais. Será uma oportunidade de fortalecer os laços entre os evangelizadores e refletir sobre o nosso papel como coautores desta história, neste momento tão significativo de transformações, através da vivência do Evangelho e dos postulados Espíritas.

Semear o Evangelho nos corações infantojuvenis é reviver o Cristo como a água viva que alimenta as nossas almas, sequiosas de alento e amor, para que verdadeiramente possamos deixar brotar os bons sentimentos nas atitudes do dia a dia, para a construção da Era de Regeneração.


[1] In: DUSI, M. Sublime Sementeira: Evangelização Espírita Infantojuvenil. 1 ed. Brasília: FEB, 2012, p. 195.

[2] Revista Reencarnação, nº 412, FERGS, Porto Alegre: 1996, pág. 5-7.

[3] FALANDO SOBRE O CONTE MAIS - Eloína da Silva Lopes – Revista Reencarnação nº 431.

* Em 1965 - 1º Concurso de Contos Infantis da FERGS - Diretora do DIJ - Dinah Rocha e Coordenadora da Infância - Cecília Rocha.

** CONTE MAIS, volume. 1 em abril de 2003 – foi a primeira obra editada e publicada pela Editora Francisco Spinelli.

#Evangelização #71anosdeevangelização

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Fergs, um século de luz.

Contato/Localização

Travessa Azevedo, 88 Floresta Porto Alegre, RS 90.220-200

Redes

Ativo 7.png
Ativo 4.png
Ativo 6.png

Fone: (51) 3224.1493

Caixa Postal 4715

NÚMERO DE VISITANTES

© 2020 Área de Comunicação Social Espírita da Federação Espírita do Rio Grande do Sul