Os exemplos do Cristo na Cruz



Na última sexta-feira, os Cristãos relembraram em todo o planeta a crucificação do Cristo.


O ódio atingiria seu ápice de maneira rápida, já que aqueles pobres homens precisavam matar o Cristo até o final da tarde.


Ele era "perigoso", pois pregava o amor ao próximo e a necessidade de auto-melhoramento. Ódio profundo era insuflado e alimentado naqueles corações.


Além disso, como o Shabat iniciaria ao entardecer daquele dia e havia muitos rituais a serem executados até o domingo do Pesach, era imperioso agir o quanto antes.


E assim o fizeram.


Vários momentos de indefinível compaixão foram exemplificados no madeiro infame por Jesus.


O pedido para que Deus perdoasse aos algozes, pois eles não sabiam o que estavam fazendo. A misericórdia divina operaria ao longo dos séculos de reencarnações com aqueles corações enfurecidos, sempre sob a proteção daquEle que haviam crucificado.


O acolhimento do criminoso arrependido. Outras reencarnações viriam para aquela alma, mas o primeiro passo foi prontamente acolhido pelo Cristo ainda na Cruz.


O amor incondicional com sua mãe, deixando-a aos cuidados de João e tendo a certeza que aquele coração, profundamente destroçado pela morte infame do seu menino inocente, seria amparado pelo discípulo amado. O tempo e o trabalho no bem em Éfeso trouxeram algum consolo à Maria de Nazaré.


A determinação para que um anjo auxiliasse imediatamente Judas que havia morrido por suicídio. O restante do socorro inicial ao amigo infeliz seria realizada pelo próprio Cristo durante os 3 dias que seguiram após sua morte na Cruz. Continuariam, ainda, os auxílios terapêuticos por séculos, sempre sob os cuidados amorosos do Nazareno.


Mas talvez o maior exemplo seja Jesus ter cantado durante o transe doloroso na Cruz os Salmos 22 e 23 do Rei Davi:


"Salmo 22:


1 Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que se acham longe de minha salvação as palavras de meu gemido?

2 Deus meu, clamo de dia, e não me respondes; também de noite, porém não tenho sossego.

3 Contudo, tu és santo, entronizado entre os louvores de Israel.

4 Nossos pais confiaram em ti; confiaram, e tu os livraste.

5 A ti clamaram e escaparam; confiaram em ti e não foram envergonhados.

6 Mas eu sou verme e não um ser humano; afrontado pelos homens e desprezado pelo povo.

7 Todos os que me veem zombam de mim; fazem caretas e balançam a cabeça, dizendo:

8 “Confiou no SENHOR! Ele que o livre! Salve-o, pois nele tem prazer.”

9 Contudo, tu és quem me fez nascer; e me preservaste, estando eu ainda ao seio de minha mãe.

10 A ti me entreguei desde o meu nascimento; desde o ventre de minha mãe, tu és o meu Deus.

11 Não te distancies de mim, porque a tribulação está próxima, e não há quem me ajude.

12 Muitos touros me cercam, fortes touros de Basã me rodeiam.

13 Contra mim abrem a boca, como faz o leão que despedaça e ruge.

14 Derramei-me como água, e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração fez-se como cera, derreteu-se dentro de mim.

15 Secou-se o meu vigor, como um caco de barro, e a língua se me apega ao céu da boca; assim, me deitas no pó da morte.

16 Cães me cercam; um bando de malfeitores me rodeia; traspassaram-me as mãos e os pés.

17 Posso contar todos os meus ossos; os meus inimigos estão olhando para mim e me encarando.

18 Repartem entre si as minhas roupas e sobre a minha túnica lançam sortes.

19 Tu, porém, SENHOR, não te afastes de mim; força minha, apressa-te em me socorrer.

20 Livra a minha alma da espada, e, das presas do cão, a minha vida.

21 Salva-me da boca do leão e dos chifres dos búfalos; sim, tu me respondes.

22 A meus irmãos declararei o teu nome; no meio da congregação eu te louvarei.

23 Louvem o SENHOR, vocês que o temem; glorifiquem-no, todos vocês, descendência de Jacó; temam-no, todos vocês, posteridade de Israel.

24 Porque não desprezou nem detestou a dor do aflito, nem ocultou dele o seu rosto, mas o ouviu, quando lhe gritou por socorro.

25 De ti vem o meu louvor na grande congregação; cumprirei os meus votos na presença dos que o temem.

26 Os sofredores hão de comer e fartar-se; louvarão o SENHOR aqueles que o buscam. Que o coração de vocês viva para sempre!

27 Os confins da terra se lembrarão do SENHOR e a ele se converterão; diante dele se prostrarão todas as famílias das nações.

28 Pois do SENHOR é o reino, é ele quem governa as nações.

29 Todos os ricos da terra hão de comer e adorar, e todos os que descem ao pó se prostrarão diante dele, até aquele que não pode preservar a própria vida.

30 A posteridade o servirá, e se falará do Senhor à geração vindoura.

31 Virão e anunciarão a justiça dele; ao povo que há de nascer, contarão que foi ele quem o fez.


Salmo 23:


1 O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará.

2 Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso;

3 refrigera-me a alma. Guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.

4 Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam.

5 Preparas-me uma mesa na presença dos meus adversários, unges a minha cabeça com óleo; o meu cálice transborda.

6 Bondade e misericórdia certamente me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na Casa do SENHOR para todo o sempre."


(Fonte: Bíblia Sagrada Nova Almeida Atualizada: Uma tradução clássica com linguagem atual" de Sociedade Bíblica do Brasil, e-book da Amazon Kindle)


O Cristo confiou! O Cristo nos consolou na Cruz!


Confiemos. A morte não venceu. A vida e o amor venceram.


Tenha Fé na Vida. A vida tem sentido. Apesar de tudo.


Muita saúde e muita paz.


(Pintura de Carl Henrich Block)

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square