Reflexões sobre a Parábola do Semeador - parte 1


OS TEXTOS AQUI PUBLICADOS TEM SEUS DIREITOS AUTORAIS

INTEGRALMENTE CEDIDOS À FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO RIO GRANDE DO SUL.

_______________________________________________________

5. Naquele mesmo dia, tendo saído de casa, Jesus sentou-se à borda do mar; em torno dele logo reuniu-se grande multidão; pelo que entrou numa barca, onde sentou-se, permanecendo na margem todo o povo. Disse então muitas coisas por parábolas, falando-lhes assim:

“Aquele que semeia saiu a semear; e, semeando, uma parte da semente caiu ao longo do caminho e os pássaros do céu vieram e a comeram. Outra parte caiu em lugares pedregosos onde não havia muita terra; as sementes logo brotaram, porque carecia de profundidade a terra onde haviam caído. Mas, levantando-se, o Sol as queimou e, como não tinham raízes, secaram. Outra parte caiu entre espinheiros e estes, crescendo, as abafaram. Outra, finalmente, caiu em terra boa e produziu frutos, dando algumas sementes cem por um, outras sessenta e outras trinta. Ouça quem tem ouvidos de ouvir.” (Mateus, 13:1 a 9.)

“Escutai, pois, vós outros a parábola do semeador. Quem quer que escuta a palavra do Reino e não lhe dá atenção, vem o espírito maligno e tira o que lhe fora semeado no coração. Esse é o que recebeu a semente ao longo do caminho. Aquele que recebe a semente em meio das pedras é o que escuta a palavra e que a recebe com alegria no primeiro momento. Mas não tendo nele raízes, dura apenas algum tempo. Sobrevindo reveses e perseguições por causa da palavra, tira ele daí motivo de escândalo e de queda.

Aquele que recebe a semente entre espinheiros é o que ouve a palavra; mas em quem, logo, os cuidados deste século e a ilusão das riquezas abafam aquela palavra e a tornam infrutífera.

Aquele, porém, que recebe a semente em boa terra é o que escuta a palavra, que lhe presta atenção e em quem ela produz frutos, dando cem ou sessenta, ou trinta por um.” (Mateus, 13:18 a 23.)

5. Naquele mesmo dia, tendo saído de casa...

O semeador sai...

Para semear é preciso “sair de casa”. A casa é o local onde moramos. A maior parte das pessoas não sai de casa, não se move de onde está. Isso tem um amplo sentido, desde uma compreensão de não sair fisicamente do mundo dos interesses em que vive, até a perspectiva de não sair de si mesmo.

Jesus nunca está parado, faz seu trabalho sempre se deslocando de um lugar para outro. Não fixa sede física, ou templo de permanência. Sua casa é o mundo e sua família são as pessoas que ele encontra pelo caminho.

O semeador sai na direção de outros ambientes, paisagens, pessoas. Sair em direção ao alheio significa abrir-se. Ficar em casa apenas, é fechar-se, isolar-se em si mesmo.

O semeador abre-se, expõe-se, desafia-se. O semeador sai a semear.

Sair não significa somente movimentar-se para fora, mas também ampliar-se, expandir-se além de limites pré-existentes.

Enquanto escrevo esse texto ideias que não havia pensado surgem na minha mente, são pensamentos que estão além da minha “casa mental”, por certo não estou sozinho. Resolvi sair de casa, no sentido figurado. Expandir a mente é possibilitar novas sintonias e enriquecer-se com novos pensamentos.

Há momento de sair, há também o de voltar. A casa é o local de refazimento por onde devemos retornar sistematicamente para nos recompormos, mas não deve ser o local para ficar o tempo todo.

É preciso pois, movimentar-se.

Jesus “tendo saído de casa”... Esse um primeiro e grande ensinamento de Jesus, através da atitude. Jesus é mestre muito além das palavras.

CONTINUA...

#sl

Fergs, um século de luz.

Contato/Localização

Travessa Azevedo, 88 Floresta Porto Alegre, RS 90.220-200

Redes

Ativo 7.png
Ativo 4.png
Ativo 6.png

Fone: (51) 3224.1493

Caixa Postal 4715

NÚMERO DE VISITANTES

© 2020 Área de Comunicação Social Espírita da Federação Espírita do Rio Grande do Sul